Sujeitos cinestésicos, visualidade háptica e ressonâncias carnais: Corpo, afeto e sensorialidade nos meios audiovisuais

Resumo: Esta pesquisa continua e amplia as investigações realizadas em dois projetos anteriores ("Cartografias do corpo: Novos territórios afetivos e sensórios no cinema contemporâneo" e "Corpo, experiência e sensorialidade na teoria contemporânea do cinema"). Nela, busca-se compreender de que formas a dimensão sensória/afetiva da experiência fílmica está articulada a usos específicos (e muitas vezes inovadores) de elementos da linguagem audiovisual e da mise-en-scène – a partir de uma concepção do espectador como um sujeito cinestésico (Sobchack, 2004), que experimenta a imagem não somente como representação, mas também como "acontecimento" (Shaviro, 2015), através de engajamentos corpóreos diversos, como a visualidade háptica (MARKS, 2000) e a ressonância carnal (PAASONEN, 2011). O referencial teórico adotado baseia-se no pensamento de autores da teoria fílmica filiados a paradigmas que abordam essa experiência com ênfase nos efeitos e ressonâncias produzidos diretamente no corpo do espectador – ora calcados num viés fenomenológico (Vivian Sobchack, Davina Quinlivan, Sara Ahmed), ora se aproximando de uma matriz pós-estruturalista (Steven Shaviro, Laura Marks, Elena Del Rio, Linda Williams), ou ainda dialogando com essas duas correntes em maior ou menor grau (Jennifer Barker, Susanna Paasonen, Thomas Elsaesser, Angela Ndalianis, Eugenie Brinkema, entre outros). Em comum, tais autores ressaltam o processo de realimentação entre as esferas não-racionais (sensória, afetiva) e racionais (os processos de produção de sentido) que envolvem o ato de se assistir a uma obra audiovisual, questionando uma falsa hierarquização epistemológica que privilegia a dimensão simbólica em detrimento de sua inegável articulação com o sensível. Para isso, trabalharemos com três dimensões corporais existentes no processo espectatorial: além do corpo do espectador, também abordaremos os corpos filmados e o próprio filme como um corpo a afetar o espectador. O foco principal da pesquisa encontra-se na produção audiovisual contemporânea, podendo também reportar-se ocasionalmente a obras audiovisuais do passado para traçar possíveis genealogias e paralelos. Uma vertente do projeto, de caráter mais específico, concentra-se em obras audiovisuais destinadas a sujeitxs LGBT+/Queer, buscando aproximar os conceitos acima citados à proposta de fenomenologia queer de Sara Ahmed, e à sua análise das relações entre corpos não-heteronormativos e espaços cotidianos, para repensar a inserção desses mesmos corpos no próprio espaço fílmico.

Data de início: 2018-03-01
Prazo (meses): 36

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado Tadeu Barbuto Bousada
Aluno Mestrado Leonardo Felipe Vieira Ribeiro
Aluno Mestrado Lucas Bragança da Fonseca
Aluno Mestrado Iza Marcialina Meireles Rosemberg
Coordenador Erly Milton Vieira Junior
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910