Name: Weliton Toledo
Type: MSc dissertation
Publication date: 30/10/2019
Advisor:

Namesort descending Role
Fabio Luiz Malini de Lima Advisor *

Examining board:

Namesort descending Role
Adriana Ilha da Silva External Examiner *
Fabio Luiz Malini de Lima Advisor *
Ruth de Cássia dos Reis Internal Examiner *

Summary: A socialização dos resultados de pesquisa reflete todo o trabalho que contempla a problematização e o debate sobre o complexo tema no contexto histórico e social que envolve pessoas em situação de rua na região metropolitana de Vitória/ES, com suas dificuldades individuais de toda ordem vivenciadas em seu cotidiano e demonstradas pelo desprezo, discriminação e invisibilidade que sofrem– o que só reforça a miséria da condição humana. Com esse propósito, particularmente, a pesquisa realizou a análise de 29 reportagens publicadas no jornal capixaba A Gazeta, no período de 2015 e 2017, relativas à abordagem dessa questão na região da metrópole capixaba a fim de compreender quais são os elementos que a compõem e, de modo mais geral, como o papel discursivo do jornalismo pode dar legitimidade social a certas narrativas que se cristalizaram ao longo de nossa história, alicerçada na crença da objetividade, imparcialidade e neutralidade. Sobretudo, ao pensarmos que esses fatores defendidos no exercício jornalístico nos levariam a uma “verdade” incontestável sobre os fatos – o que nem sempre ocorre no jogo de forças, interesses, coerções e relações de poder da sociedade contemporânea. Não obstante, quando se busca pela pesquisa analisar a dimensão do que seja a “situação de rua” tal problematização vai muito além da triste narrativa e experiência individual de cada uma dessas pessoas; porque em sentido macro temos outras questões no que se refere aos conflitos urbanos imersos na paisagem da grandes cidades e a políticas públicasdestinadas a esse público, do tipo: moradia, saúde, educação, assistência social, trabalho e renda etc. De modo a discutir minimamente o assunto sob a perspectiva de várias correntes do pensamento das Ciências Sociais, elencamos alguns referenciais teóricos como indispensáveis ao raciocínio de nossa linha de pesquisa. Caso de Michel Foucault, que ao observar as relações de poder no ambiente social e o papel da biopolítica (biopoder) traça características dos poderes e traduz a narrativa de como ocorre a mediação entre o Estado, a sociedade e o indivíduo no direito de fazer as suas escolhas pessoais – como a de querer viver a situação de rua, independente dos motivos que o levaram a isso (abandono familiar, uso de drogas, problemas mentais, homofobia, fluxo migratório, desemprego). Da mesma forma, Karl Marx ao inserir a questão das estruturas no assentamento das bases de produção capitalista e a expulsão dos camponeses (êxodo rural) pela separação do trabalho da propriedade e em virtude também da própria industrialização, intensificada a partir do século XVIII, traz à tona razões que deram início ao processo que ora analisamos. No caso brasileiro, temos Florestan Fernandesna discussão da gênese de nossas desigualdades sociais em processo similar ao europeu, mas por vias distintas, considerando a escravização e a falta de suporte estatal necessário aos libertos após séculos de exploração,mesmo na transição do Império para a República, e a forma como a questão de racismo impregnou-se às mazelas nacionais.Condições essas impostas, conforme Jessé Souza, pela forte influência do patriarcalismo rural brasileiro na formação da identidade nacional brasileira. Diante de tal contexto, a pesquisa verificou que permanece ainda muito presente o reforço das ideologias de segmentos hegemônicos e seu poder de controle junto a setores da mídia – que reproduz o pensamento e o discurso das elites de nosso país como forma de manipulação e para manter o statusquo – e também do Estado em sua incapacidade de formular políticas públicas que possam efetivamente transformar a vida das pessoas em situação de rua (minorias) e reduzir as desigualdades sociais históricas,que nos impedem de ser uma Nação realmente desenvolvida e mais igualitária em todos os sentidos. Palavras-chave: Situação de rua. Biopolítica. Poder da mídia. Desigualdades sociais.

Access to document

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910