Name: Isabella Silva de Freitas Mariano
Type: MSc dissertation
Publication date: 23/04/2019
Advisor:

Namesort descending Role
Ruth de Cássia dos Reis Advisor *

Examining board:

Namesort descending Role
Daniela Zanetti Internal Examiner *
Gabriela Santos Alves Internal Alternate *
RENATA DE REZENDE RIBEIRO Internal Examiner *
Ruth de Cássia dos Reis Advisor *

Summary: Este estudo tem como objeto as narrativas construídas pelo jornal A Gazeta sobre casos de feminicídio ocorridos no Espírito Santo e pretende responder às seguintes perguntas: quais são os discursos produzidos pelos enunciados narrativos do jornal A Gazeta acerca do feminicídio? De que maneira as
diferentes posições de sujeito das vítimas são narradas pelo veículo? Partimos da noção de que o jornalismo é uma peça importante para a superação do problema, uma vez que tal enfrentamento exige redefinições em níveis simbólicos e cognitivos. Com isto, buscamos em primeiro lugar, compreender de que maneira o jornalismo contribui para a constituição do feminicídio como um problema social e, em segundo, colaborar com subsídios para definir estratégias que possam reduzir os índices de violência contra as mulheres. A partir da conceituação de “feminicídio”, “narrativa” e “discurso” e da
contextualização histórica de ações de enfrentamento à violência contra a mulher, pretende-se analisar os enunciados sobre esse tema presentes no jornal A Gazeta. Para tanto, levamos em conta a compreensão de
que os meios de comunicação não espelham o que se passa na sociedade, mas sim, por meio de suas narrativas, incidem sobre a constituição do acontecimento social. Foram escolhidos quatro narrativas sobre casos de feminicídio ocorridos no Espírito Santo em 2017 e 2018, envolvendo mulheres em diferentes posições de classe, gênero e raça. Essa análise foi realizada com base na hermenêutica de profundidade (HP) nos moldes de Thompson (2011), que define três fases principais para a investigação, que são: análise sócio-histórica, análise discursiva e interpretação/re-interpretação. O momento da análise empírica se deu nas duas últimas fases deste estudo, em que foi possível identificar as estruturas narrativas dos casos selecionados, fortemente dramáticas e muito relacionadas a elementos presentes na literatura; e os discursos produzidos pelo jornalismo de A Gazeta, muito conectados a tendências punitivistas e ao direito penal.

Access to document

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910