Histórico

O Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo (PósCom-Ufes) recebeu sua primeira turma em 2014. Iniciou, assim, suas atividades quando a graduação em Comunicação Social da Ufes estava em vias de completar 40 anos, o que sinalizava a urgência de sua criação. Somou se a isso a expansão da oferta de cursos na área na Ufes ao longo dos anos, com os cursos de Jornalismo (tendo iniciado em 1975), Publicidade e Propaganda (a partir de 1983), e Cinema e Audiovisual (a partir de 2011), bem como a ampliação do ensino superior na rede privada, notadamente a partir dos anos de 1990, quando já eram ofertadas mais oito opções de formação em Comunicação além da Universidade Federal. Dessa maneira, atendeu a uma intensa – e reprimida – demanda da sociedade por pós-graduação stricto sensu em Comunicação no Espírito Santo, uma vez que constitui o primeiro e único programa que se volta para a temática no estado.

A área de concentração do PósCom-Ufes é Comunicação e Territorialidades, compreendendo, assim, os estudos da comunicação na produção das territorialidades, bem como das práticas, processos, produtos midiáticos em ambientes particulares. Territorialidades são entendidas aqui como processos que constituem os vários espaços geográficos clássicos, assim como aquelas unicidades formadas a partir de interfaces socioeconômicas, políticas, culturais e simbólicas, considerando-se que territórios de quaisquer naturezas se articulam também por meio de nexos comunicacionais. Tem-se como antecedente que a produção da vida tem uma dimensão ordinária, da ordem do corpo, da matéria, do espaço/tempo, sempre atravessada pela seta da virtualidade e da transcendência. A contemporaneidade é resultado de múltiplos movimentos que se dão mais em razão de comunicações midiáticas do que dos deslocamentos físicos. Antigas e novas formas de agregações peculiares se mobilizam em torno da comunicação e expressam seus traços particulares, estabelecendo-se um corpus ainda pouco explorado pela pesquisa em Comunicação. Nessa perspectiva, o PósCom-Ufes organizou-se inicialmente em torno de duas linhas de pesquisa: 1) Comunicação e Poder e 2) Práticas e Processos Comunicacionais. Ao longo de 2017, após um amplo estudo sobre os primeiros anos do Programa, a linha 2 recebeu proposta de passar por algumas reformulações, fazendo com que sua nova configuração venha a ser apresentada na proposta de 2018, pois já foi aplicada à turma aprovada na seleção do final de 2017.

A linha de Comunicação e Poder pesquisa o contexto socioeconômico, político e cultural das ocorrências comunicacionais nos diversos territórios da contemporaneidade. Dedica-se ao estudo da apropriação e dos usos da comunicação na constituição histórica da vida atual. O objetivo é pesquisar o lugar da comunicação na conformação das territorialidades atuais (geográficas, culturais e informacionais), em suas dinâmicas internas e externas, considerando-se os dispositivos midiático-comunicacionais e seus impactos nos territórios, assim como as configurações da mídia local e regional e suas manifestações no contexto da globalização das comunicações.

A linha de pesquisa Práticas e Processos Comunicacionais se debruça sobre as práticas, processos e produtos comunicacionais que ocorrem nas territorialidades, dedicando-se, assim, às estéticas, linguagens e discursos (oral, verbal, visual, virtual, audiovisual, poético, entre outros) que são constituídos a partir de dispositivos midiáticos como estratégias de construção do presente da vida cotidiana e de configuração dos laços sociais e culturais, em uma condição de mútua determinação com os fluxos informacionais locais, regionais e globalizados.

Nesses quatro anos de funcionamento (2014 a 2017), o Programa já alcançou reconhecimento da comunidade acadêmica e da sociedade, comprovado pela quase duplicação do número de docentes compondo o PósCom-Ufes e pela crescente atração de candidatos. Em 2014, o corpo docente do PósCom-Ufes era formado por 10 professores, todos do corpo permanente. No final de 2014, foi aberto processo de credenciamento de docentes, de modo que o Programa passou a contar com mais três professores, sendo dois permanentes e um colaborador, reunindo o total de 12 professores, já que um dos docentes da primeira composição pediu descredenciamento. Dois anos depois, no final de 2016, foi aberto novo processo de credenciamento, de maneira que, em 2017, o programa passou a abrigar o total de 18 docentes, sendo 15 permanentes e três colaboradores.

O número de estudantes ingressantes no Programa foi, também, crescente. Em 2014, o mestrado acolheu 10 estudantes, mesmo que tenha aberto chamada com expectativa para oito; número que se repetiu em 2015. Em 2016, houve a entrada de 15 novos estudantes, ou seja, 50% a mais em comparação com a turma dos anos anteriores. Em 2017, por sua vez, iniciaram o total de 17 estudantes. Para a entrada de 2018, a seleção realizada no final do ano foi de 20 novos estudantes.

No decorrer dos anos, observou-se o alargamento da abrangência do PósCom-Ufes. As quatro turmas ingressantes até o momento são marcadas, sobretudo, pela presença de estudantes oriundos de instituições do Espírito Santo, em especial, da Ufes. No entanto, ano a ano, nota-se o interesse de pessoas de outros estados e regiões do país, pois já foram matriculados estudantes oriundos do Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco e do Maranhão.

Dentro desse indicativo de evolução e adequação, em 2017, foi realizado também um processo de reforma curricular, que se estendeu de julho a dezembro, tendo à frente uma comissão composta por dois professores de cada linha de pesquisa, Daniela Zanetti, Edgard Rebouças, Fabio Malini e Flávia Mayer, acompanhados de uma representante estudantil Ana Paula Miranda Costa. O processo abarcou seis etapas, foram elas: a) análise do perfil dos estudantes do Póscom-Ufes e mapeamento de demandas do corpo discente; b) análise da distribuição de créditos em Programas de Pós-Graduação e Comunicação, a partir do estudo de experiências nacionais; c) avaliação da Área de Concentração e Linhas de Pesquisa; d) análise das Disciplinas de cada Linha de Pesquisa; e) estudo da distribuição dos Docentes Permanentes e Colaboradores por linha de pesquisa e disciplinas; f) deliberação sobre o Projeto Final de Revisão Curricular junto ao colegiado. Nesta fase, a partir dos estudos realizados pela comissão, o colegiado participou da construção das linhas de pesquisa, bem como da estrutura curricular. Chegou-se, então, à proposta que passa a vigorar a partir da turma ingressante em 2018.

Alunos Formados e Matriculados:O programa já formou 20 mestres e conta com 49 alunos regularmente matriculados, todos no mestrado.

Nome dos coordenadores e coordenadores-adjuntos:

Período: 2018-2020

Coordenador: Edgard Rebouças
Coordenadora-Adjunta: Flavia Mayer

Período: 2016-2018

Coordenador: Fabio Luiz Malini
Coordenadora-Adjunta: Daniela Zanetti

Período: 2014-2016

Coordenadora: Daniela Zanetti
Coordenador-Adjunto: José Antonio Martinuzzo

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910